Ser Odebrecht Agro é sinônimo de conquistas e realizações. Sou grata pela confiança e todas as oportunidades que tive durante esses anos. Fazer parte da Empresa e saber que também faço a diferença, é gratificante.

Sirley Mendes da Silva

Complemento GRI

Ser Odebrecht Agro é sinônimo de conquistas e realizações. Sou grata pela confiança e todas as oportunidades que tive durante esses anos. Fazer parte da Empresa e saber que também faço a diferença, é gratificante.

Sirley Mendes da Silva

Complemento GRI

Nesta seção, apresentamos aos nossos públicos interessados o Sumário de Conteúdo da GRI e dados complementares aos indicadores da versão G4. Outras informações relacionadas aos indicadores estão localizadas nos demais capítulos de nosso Relatório Anual.

A Organização Odebrecht detém 99,99% do capital social da Odebrecht Agroindustrial. Para mais informações, clique aqui.

Ao longo de 2015/2016, o Programa de Estágio passou a ser considerado como a principal porta de entrada dos jovens na Empresa. Estabelecemos parcerias com as universidades de destaque no entorno de nossos Polos Agroindustriais e focamos na identificação dos jovens estudantes, em vez dos recém-formados. Isso justifica o crescimento no número de estagiários de 26 para 62, na comparação anual, e a redução do número de recém-formados, de 36 para 3.

A Odebrecht Agroindustrial não conta com autônomos em atividades significativas e não está sujeita a variações sazonais em sua força de trabalho. Para mais informações, clique aqui.

Força de trabalho por vínculo empregatício e gênero*

  2015/2016 2014/2015 2013/2014
Homens Mulheres Total Total Total
Integrantes 9.302 1.584 10.886 13.083 14.953
Aprendizes 114 79 193 145 92
Jovens Parceiros 1 2 3 36 34
Estagiários 35 27 62 26 26
Terceirizados 4.471 285 4.756 7.288 5.325
Total 13.923 1.977 15.900 20.578 20.430

*O histórico segmentado por gênero não está disponível.

Força de trabalho por região e gênero*

  2015/2016
Homens Mulheres Total
Sudeste 2.994 407 3.401
Centro-Oeste 10.929 1.570 12.499
Total 13.923 1.977 15.900

*Histórico não disponível.

Integrantes por contrato de trabalho, tipo de emprego e gênero*

  2015/2016
Homens Homens Total
Tempo indeterminado 9.303 1.586 10.889
Tempo determinado 149 106 255
Total 9.452 1.692 11.144

*Considera Integrantes, Aprendizes, Jovens Parceiros e Estagiários. Todos os Integrantes por tempo indeterminado têm jornada de trabalho integral. Histórico não disponível.

Todos os Integrantes estão cobertos por acordos coletivos de trabalho.

A gestão de Fornecedores da Odebrecht Agroindustrial é realizada por duas áreas distintas: Suprimentos e Parcerias Agrícolas. A área corporativa de Suprimentos é responsável pela contratação de Fornecedores de equipamentos agrícolas e industriais e respectivos serviços de manutenção ou locação, insumos e materiais, transporte de cana, logística e serviços gerais. No último ano-safra, foram contratados 4.406 fornecedores, totalizando R$ 2,3 bilhões em compras. Desse total, cerca de 35% foram destinados à aquisição de insumos e materiais e outros 26% para atividades logísticas e de transporte de cana. Geograficamente, os fornecedores estão concentrados no Centro-Oeste e no Sudeste, onde também se localizam as operações da Empresa, representando 36,5% e 56,0% do total de Fornecedores, respectivamente. Uma área específica em cada Polo é responsável por gerenciar os Parceiros de cana-de-açúcar e de terras para cultivo. A equipe de Parcerias Agrícolas e o Programa de Fornecedores para esse público foram criados em 2013 para superar os desafios do setor sucroenergético, garantindo o fornecimento de matéria-prima com qualidade, produtividade e competitividade. A proposta é que os Parceiros atuem na formação de lavoura, tratos culturais e corte, carregamento e transporte (CCT), com a previsão de expansão das áreas plantadas para que as Unidades alcancem o máximo de sua capacidade produtiva. As parcerias são baseadas em uma proposta ganha-ganha, em que a Odebrecht Agroindustrial fornece suporte para o desenvolvimento de um plano de negócios e apoio técnico. Em contrapartida, a Empresa busca empresas experientes no mercado e comprometidas com a melhoria dos índices de produtividade e qualidade do canavial. Dependendo das necessidades de cada Polo, também são fechados contratos de fornecimento spot, válidos apenas para a entrega naquele ano-safra. Para mais informações, clique aqui.

Em relação à estrutura societária, as seguintes movimentações ocorreram: aumento de capital da Rio Claro Agroindustrial S.A., diluindo a participação de Acionista minoritário nessa Unidade para menos de 1%; e aquisição das participações de Acionistas minoritários da Destilaria Alcídia S.A., garantindo 100% do capital social da Unidade. Para saber sobre mudanças operacionais no período, veja a seção Quem Somos, e para informações sobre alterações na relação com Fornecedores, leia a seção Relacionamento com Parceiros e Fornecedores.

Não há risco de impacto ambiental grave ou irreversível nas operações da Odebrecht Agroindustrial. Os riscos ambientais de maior potencial estão associados à utilização da vinhaça na fertirrigação dos canaviais (desenvolvimento da mosca dos estábulos e contaminação do solo e de corpos hídricos), sendo todos reversíveis. A Empresa garante a integridade dos sistemas para aplicação da vinhaça por meio de um conjunto de procedimentos preventivos e do monitoramento periódico da qualidade dos solos e corpos d’água. Em caso de vazamentos, as ações de contenção e remediação são iniciadas imediatamente, todas as lideranças da Empresa são comunicadas em até 24 horas e um relatório detalhado sobre a abrangência do incidente e as ações de melhoria a serem adotadas é elaborado dentro de 15 dias úteis.

A Odebrecht Agroindustrial participa dos conselhos decisórios da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), da Associação dos Produtores de Bioenergia do Mato Grosso do Sul (Biosul), do Sindicato da Indústria de Fabricação de Etanol do Estado de Goiás (Sifaeg), do Sindicato das Indústrias Sucroalcooleiras do Estado de Mato Grosso (Sindalcool-MT) e da União dos Produtores de Bioenergia (Udop). Nas três primeiras, a Empresa também integra comitês e comissões relacionadas a meio ambiente, saúde e segurança, gestão agrícola, recursos humanos e questões jurídicas e tributárias. Em relação aos debates mais abrangentes do setor produtivo, a Odebrecht Agroindustrial participa do Conselho Temático de Agroindústria da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e do Núcleo de Acompanhamento Legislativo da Federação da Indústria do Estado de São Paulo (Fiesp). A Empresa ainda contribui para o desenvolvimento de políticas públicas para o setor por meio de seu envolvimento na Câmara Setorial do Açúcar e Etanol, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, e na Mesa Tripartite Governo-Produtores-Distribuidores, do Ministério de Minas e Energia. Para mais informações, clique aqui.

O Relatório Anual 2015/2016 da Odebrecht Agroindustrial compreende as seguintes entidades: Agro Energia Santa Luzia S.A.; Brenco Companhia Brasileira de Energia Renovável S.A.; Destilaria Alcídia S.A.; Rio Claro Agroindustrial S.A.; Usina Eldorado S.A.; e Usina Conquista do Pontal S.A. Além dessas, as demonstrações financeiras da Empresa também contemplam as entidades Odebrecht Agroindustrial Participações S.A.; Centro Sul Transportadora Dutoviária Ltda.; Odebrecht Agroindustrial International Corp.; e Pontal Agropecuária S.A. Especificamente em relação aos indicadores ambientais (G4-EN1, G3-EN3, G4-EN8, G4-EN10, G4-EN11, G4-EN23, G4-EN31 e G4-EN34) e aos de segurança e saúde (G4-LA6) são consideradas apenas as operações agroindustriais, excluindo-se os escritórios em São Paulo e Campinas.

A tabela, a seguir, apresenta os aspectos relacionados a cada um dos temas materiais e os respectivos limites externos. O limite interno de todos os aspectos materiais é a Empresa como um todo, incluindo suas Unidades produtivas e escritórios. Para saber mais, clique aqui.

Tema material Aspectos GRI correlacionados Limites externos
Impacto ambiental Biodiversidade
Emissões
Efluentes e resíduos
Produtos e serviços
Conformidade (ambiental)
Transporte
Geral
Avaliação ambiental de fornecedores
Mecanismos de queixas e reclamações relacionadas a impactos ambientais
Geográfico: regional, exceto para emissões, produtos e serviços, conformidade e avaliação de fornecedores, cujos impactos e riscos têm abrangência nacional.

Públicos: Comunidade, Fornecedores, Parceiros Agrícolas, Organizações Não Governamentais, Governo e Instituições Financeiras.

Desenvolvimento local Impactos econômicos indiretos
Comunidades locais
Práticas de compra
Geográfico: regional, exceto para práticas de compra, cujos impactos e riscos têm abrangência nacional.

Públicos: Comunidade, Fornecedores e Governo.

Uso eficiente dos recursos naturais Materiais
Energia
Água
Geográfico: regional.

Públicos: Fornecedores, Parceiros Agrícolas e Organizações Não Governamentais.

Ética, Transparência e Integridade Avaliação de fornecedores em práticas trabalhistas
Combate à corrupção
Concorrência desleal
Conformidade (social – sociedade)
Geográfico: nacional.

Públicos: Acionistas, Clientes, Parceiros Comerciais, Instituições Financeiras, Governo e Imprensa.

Segurança e Saúde dos Integrantes Saúde e segurança no trabalho
Treinamento e educação
Geográfico: regional.

Público: Governo.

Desempenho dos Negócios Desempenho econômico
Emprego
Geográfico: nacional.

Públicos: Acionistas, Clientes, Parceiros Comerciais e Instituições Financeiras.

Três indicadores tiveram seus métodos de consolidação alterados de forma significativa. Nesses casos, os históricos não foram recalculados e os dados informados em relatórios anteriores não podem ser comparados a fim de analisar a evolução do desempenho:

  • G4-EN1: as categorias de materiais consumidos foram alteradas para aproximar o relato da forma como esse aspecto é gerenciado.
  • G4-EN10: as premissas de reutilização de água foram revisadas, deixando de considerar a vinhaça captada diretamente da cana-de-açúcar no volume de água reutilizada.
  • G4-EN31: as categorias de investimentos e gastos ambientais foram alteradas para aproximar o relato da forma como esse aspecto é gerenciado.

Não houve alteração significativa nos limites e escopos dos aspectos materiais em relação a períodos anteriores.

O processo de materialidade envolveu os públicos mais diretamente relacionados às operações da Empresa. Os convidados de governos e Comunidades locais foram selecionados a partir dos representantes envolvidos no Energia Social, programa de investimento social privado nas Unidades da Empresa. Para convidar representantes de Clientes e Fornecedores, foi realizada uma seleção com as áreas que atuam diretamente com esses públicos, indicando aqueles que mais poderiam contribuir para o processo de materialidade. Para mais informações, clique aqui.

Por meio do processo de engajamento dos stakeholders para a Matriz de Materialidade, foi possível identificar tópicos de interesse de cada grupo em relação à gestão e ao relato de sustentabilidade da Odebrecht Agroindustrial, listados abaixo. Para mais informações sobre os tópicos levantados pelo programa Energia Social, clique aqui.

  • Clientes | Demandam uma atuação mais próxima com o mercado regulador e a cadeia para garantir a competitividade do setor no longo prazo. Entre as prioridades de atuação, preocupam-se com o pilar econômico e a gestão ambiental, garantindo eficiência no consumo de água e energia e a minimização de impactos negativos.
  • Fornecedores | Também entendem ser foco estratégico a garantia de resultados econômico-financeiros, que permitam o desenvolvimento dos negócios e o investimento em aspectos socioambientais. No viés ambiental, destacam como prioridades a atuação em geração de energia limpa com crédito de carbono, as atividades de educação para a sustentabilidade e a adaptação ao risco de escassez de água. Esse público também se preocupa com a gestão de aspectos de integridade e anticorrupção e com a relação com as Comunidades locais de cada Polo.
  • Sociedade Civil | Os principais tópicos de interesse relacionam-se com o desenvolvimento local e os investimentos sociais privados. Esse público demanda o crescente envolvimento da população na elaboração e implantação de projetos e políticas públicas, incluindo a comunicação efetiva e a capacitação dos moradores locais para atuar nas iniciativas implementadas. Como áreas prioritárias para investimento destacaram-se educação, empregabilidade local de jovens, cultura e turismo. No âmbito ambiental, a principal preocupação desse público é a destinação adequada de resíduos e o incentivo à reciclagem.
  • Governo local | Apresenta como prioridade a gestão ambiental, sobretudo na questão de gerenciamento de resíduos e preservação da biodiversidade. Também recomenda intensificar ações de educação para a sustentabilidade para a Comunidade, a fim de contribuir para uma cultura local no tema.
  • Integrantes | Demandam foco da Empresa na gestão de segurança e saúde e na capacitação dos Integrantes, buscando mais produtividade nas operações e, consequentemente, a recompensa e remuneração justa do público interno. Outros focos prioritários na opinião desse público são: a gestão ambiental, sobretudo na destinação de resíduos, no uso eficiente de recursos naturais e na preservação da biodiversidade; e o desenvolvimento local, intensificando ações de educação e sensibilização, além do engajamento de governos e lideranças comunitárias.

Em caso de dúvidas relacionadas a regras de comportamento ético, os Integrantes devem buscar a orientação de seus Líderes e, se a questão não for solucionada dessa forma, a área de conformidade da Empresa. Esse diálogo direto e transparente entre as equipes é um dos aspectos da cultura empresarial da Odebrecht Agroindustrial. Além disso, o canal Fale Conosco do site institucional também pode ser utilizado para encaminhar dúvidas dessa natureza. A Empresa não possui registro formal de recebimento desse tipo de manifestação.

O valor econômico direto gerado pela Odebrecht Agroindustrial atingiu R$ 1,7 bilhão. Entre os fatores que impactaram esse resultado, destacam-se: 1) crescimento dos volumes de venda e do preço médio dos produtos; 2) aumento da quantidade de cana-de-açúcar adquirida de terceiros; 3) elevação dos valores de amortização na lavoura (expansão das áreas aptas ao plantio) e na indústria (início da depreciação de investimentos para a ampliação da Unidade Eldorado); e 4) crescimento das receitas financeiras, pela atualização de valores a receber pela venda de ativos de energia e pela valorização do dólar frente ao real nas operações de exportação de açúcar. Em relação ao valor econômico distribuído, a principal variação significativa refere-se a Financiadores, cujo montante foi 66% maior em função do aumento do saldo médio da dívida (necessidades de capital de giro) e do custo médio da dívida. Para mais informações, clique aqui.

Demonstração do Valor Adicionado (R$ mil)

  2015/2016 2014/2015 2013/2014
Valor econômico direto gerado      
Vendas de mercadorias, produtos e serviços 3.839.623 3.220.226 2.842.855
Ganho de capital bruto na venda dos ativos de cogeração de energia 0 0 2.036.361
Insumos adquiridos de terceiros -1.666.063 -1.298.445 -972.536
Valor adicionado bruto 2.173.560 1.921.781 3.906.680
Depreciação, amortizações e exaustão -1.332.672 -1.050.877 -1.186.069
Valor adicionado líquido 840.888 870.904 2.720.611
Valor adicionado recebido em transferência 833.054 434.091 197.912
Valor adicionado total a distribuir 1.673.942 1.304.994 2.918.522
       
Valor econômico distribuído      
Pessoas e encargos 836.095 819.823 838.297
Governo e sociedade (impostos, taxas e contribuições) 169.967 130.324 407.015
Financiadores (juros e aluguéis) 2.568.995 1.547.729 1.598.218
Lucro (prejuízo) do exercício -1.898.786 -1.142.156 62.642
Participação dos não controladores -2.329 -50.726 12.350

A construção dos dois viadutos próximos às Unidades Santa Luzia e Eldorado contribuiu para a arrecadação de aproximadamente R$ 600 mil em impostos municipais, por meio da contratação de Fornecedores para a execução das obras. Para mais informações, clique aqui.

A Odebrecht Agroindustrial não tem um processo formal para esse aspecto, mas em caso de empate das condições comerciais os compradores são orientados a privilegiar Fornecedores locais (do mesmo Estado em que se localizam as Unidades produtivas). No caso dos Parceiros de cana-de-açúcar, 100% são locais, reduzindo custos logísticos e incrementando a produtividade no fornecimento de cana para as Unidades. Para mais informações, clique aqui.

A Odebrecht Agroindustrial gera toda a energia de que necessita para suas operações por meio da queima do bagaço de cana-de-açúcar e comercializa o excedente. Apenas na entressafra as Unidades adquirem energia elétrica de concessionárias. Para mais informações, clique aqui.

Geração e consumo de energia em 2015/2016 (GJ)*

  Polo São Paulo Polo Eldorado Polo Santa Luzia Polo Goiás Polo Araguaia Polo Taquari Consolidado
Morro Vermelho Água Emendada Costa Rica Alto Taquari
A. Energia gerada a partir do bagaço de cana 1.766.619 1.074.030 2.089.198 1.393.605 1.174.450 975.351 1.487.722 1.114.869 11.075.845
B. Energia elétrica adquirida da rede 3.815 22.619 2.914 2.956 8.636 5.768 7.238 1.760 55.706
C. Energia vendida 1.188.671 662.749 1.410.345 937.037 823.539 667.809 1.094.482 773.954 7.558.586
Consumo de energia (A+B-C) 581.764 433.900 681.767 459.523 359.547 313.311 400.478 342.676 3.572.965

*O histórico não foi apresentado, pois o método de consolidação desse indicador foi alterado neste período.

A Odebrecht Agroindustrial capta água diretamente de fontes superficiais e conta com poços em suas Unidades para a captação subterrânea. Para mais informações, clique aqui.

Captação de água em 2015/2016 (mil m³)

  Polo São Paulo Polo Eldorado Polo Santa Luzia Polo Goiás Polo Araguaia Polo Taquari
Morro Vermelho Água Emendada Costa Rica Alto Taquari
Águas superficiais 4.327 4.152 6.387 8.015 3.240 2.793 4.048 2.989
Águas subterrâneas* 272 66 75 39 55 44 60 50
Total 4.599 4.218 6.462 8.054 3.295 2.837 4.108 3.039

*Apenas os dados do Polo São Paulo foram obtidos por medidor de vazão nos poços de captação subterrânea. Os demais volumes foram estimados com base nas licenças de outorga.

Dois importantes processos garantem a minimização de água captada pela Odebrecht Agroindustrial. Um deles está relacionado à natureza do Negócio da Empresa: a cana-de-açúcar possui 70% de água em sua composição, que é extraída no processo industrial e aproveitada em etapas produtivas e na vinhaça para irrigação dos canaviais. O outro aspecto é a recirculação de água nas indústrias, com circuitos semifechados e aproveitamento do vapor condensado para o resfriamento de equipamentos, e a utilização das águas residuárias na formação da vinhaça. Dessa forma, a Empresa garante uma operação com zero efluentes, uma vez que aquilo que seria descartado é destinado à área agrícola para fertirrigação. Para mais informações, clique aqui.

Reutilização de água*

  Polo São Paulo Polo Eldorado Polo Santa Luzia Polo Goiás** Polo Araguaia Polo Taquari
Morro Vermelho Água Emendada Costa Rica Alto Taquari
Volume (mil m3) 2.596 2.303 2.467 2.022 1.248 1.207 2.444 1.779
Percentual sobre o total captado 56% 55% 38% 25% 38% 43% 59% 59%

*Valores estimados a partir do balanço hídrico das Unidades, considera a água reutilizada na indústria e a água residuária, aplicada com a vinhaça na fertirrigação dos canaviais.

**O percentual de reutilização no Polo Goiás inclui a água captada diretamente para irrigação, por isso é inferior às demais Unidades, nas quais não há captação para esse uso. Considerando apenas a captação para indústria, o percentual de reutilização é de 55%.

A Odebrecht Agroindustrial possui algumas áreas de plantio em Zonas de Amortecimento, Áreas de Preservação Ambiental (APAs) e no entorno de outras unidades de conservação:

  • Polo São Paulo: 2.480 hectares no entorno do Parque Morro do Diabo e da Estação Ecológica Mico-Leão-Preto, ambos importantes para a preservação da Mata Atlântica. Na Estação Ecológica, podem ser realizadas pesquisas, com prévia autorização, mas não é permitida a visitação.
  • Polo Eldorado: 392 hectares na APA das Várzeas do Rio Ivinhema, que visam preservar esse curso d’água, relevante na composição da Bacia Hidrográfica do Rio Paraná.
  • Polo Araguaia: 939 hectares na Zona de Amortecimento do Parque Nacional das Emas. Considerado uma unidade de conservação de proteção integral, foi criado para preservar o bioma Cerrado e proteger áreas de recarga do aquífero Guarani. O Parque é considerado pela Unesco como Patrimônio Natural da Humanidade.
  • Polo Taquari: 46.014 hectares em Zonas de Amortecimento de unidades de conservação relacionadas às nascentes dos Rios Sucuriú e Taquari e ao Parque Nacional das Emas; 4.164 hectares de plantio em APA da Bacia do Alto Paraguai; 29.957 hectares em APAs municipais da Nascente do Rio Araguaia, Ninho das Águas e Ribeirão do Sapo. Todas essas áreas de conservação são relevantes para a preservação do Cerrado e de nascentes na região.

A Odebrecht Agroindustrial tem como objetivos reduzir a geração de resíduos sólidos e sua destinação para reaproveitamento. Para mais informações, clique aqui.

Resíduos descartados (t)

  Polo São Paulo Polo Eldorado Polo Santa Luzia Polo Goiás Polo Araguaia Polo Taquari
Morro Vermelho Água Emendada Costa Rica Alto Taquari
Perigosos
Reciclagem 40 45 18 93 8 8 14 11
Recuperação 3 27 45 0 0 0 57 55
Incineração 0 0 0 0 0 0 0 0
Coprocessamento 100 127 114 113 70 58 119 79
Subtotal 143 199 177 206 78 66 190 145
Não perigosos
Reciclagem 465 797 511 37 87 51 353 382
Recuperação 0 0 0 411 16 8 0 0
Incineração 0 0 0 0 0 0 0 25
Coprocessamento 0 0 0 0 0 0 124 1.069
Aterro 32 68 54 37 50 44 23 25
Compostagem 2 62 36 43 34 26 14 24
Outros 0 0 0 0 0 0 8 98
Subtotal 499 927 601 528 187 129 522 1.623
Total 642 1.126 778 734 265 195 712 1.768

Não foram recebidas multas ou sanções não monetárias significativas relacionadas a não conformidades ambientais no último período.

Os investimentos ambientais da Odebrecht Agroindustrial totalizaram cerca de R$ 24,8 milhões na safra 2015/2016. Para mais informações, clique aqui.

Investimentos e gastos em proteção ambiental no ano-safra 2015/2016 (R$ mil)*

Disposição de resíduos 1.804
Emissões atmosféricas 175
Prevenção e gestão ambiental 22.455
Remediação 362
Total 24.796

*O método de consolidação do indicador foi alterado neste período, por isso o histórico comparável não está disponível. As categorias apresentadas compreendem as seguintes atividades: Disposição de resíduos – incineração, aterros, coprocessamento, equipe terceirizada de gerenciamento de resíduos; Emissões atmosféricas – monitoramento de gases de caldeiras e fornos, se aplicável; Prevenção e gestão ambiental – Gastos Fixos e Desembolsáveis (GFD) equipe SSMA, treinamentos, custos de licenciamentos, monitoramentos ambientais, consultorias, investimentos para melhoria dos processos; Remediação – custos com remediação de solos, corpos hídricos, recuperação de Áreas de Proteção Ambiental (APA), Áreas de Preservação Permanente (APP), Reserva Legal (RL), Plano de Recuperação de Áreas Degradadas (PRADs) etc.

Todas as queixas recebidas são analisadas pelo Superintendente da Unidade envolvida e encaminhadas aos Gerentes responsáveis, com prazo estabelecido para apresentar medidas de controle ou resolução da questão. Todas as medidas são registradas em um sistema específico e contam com o envolvimento de diversas áreas, muitas vezes dialogando com as partes interessadas para compreender o problema e buscar uma solução satisfatória. Para mais informações, clique aqui.

O efetivo e a taxa de rotatividade da Odebrecht Agroindustrial são acompanhados mensalmente. A Empresa tem uma meta anual de redução de sua taxa de rotatividade, definida com base no resultado do ano anterior. Os processos de recrutamento e seleção são realizados internamente, por meio do know-how de nossos profissionais da área de Pessoas e Organização e da indicação de nossos Líderes. A Empresa prioriza o lançamento de Integrantes e a mobilização de profissionais das diversas empresas da Organização Odebrecht, uma vez que essas pessoas já conhecem e praticam os valores e a cultura corporativos. Caso seja necessária a contratação de profissionais do mercado, a Odebrecht Agroindustrial divulga suas vagas em portais on-line. A definição do perfil da vaga ocorre em conjunto com os líderes de cada área e não considera critérios de gênero ou idade.

Ao longo do ano-safra 2015/2016, 3.523 pessoas deixaram a Empresa, sendo 2.005 delas pela redução do quadro funcional em função do amadurecimento das equipes e da crescente produtividade nas operações. A taxa de rotatividade ficou em 12,8%, índice 41% inferior ao do período anterior. Para mais informações, clique aqui.

Contratações e demissões em 2015/2016* Número de contratações Número de demissões Turnover
Por gênero
Homens 1.205 1.267 10,7%
Mulheres 187 251 2,1%
Por faixa etária
Até 30 anos 741 608 5,1%
De 30 a 50 anos 597 788 6,6%
Acima de 50 anos 54 123 1,0%
Por região
Sudeste 258 279 2,4%
Centro-Oeste 1.134 1.239 10,4%
Total 1.392 1.518 12,8%

*Considera os Integrantes com contrato de trabalho por tempo indeterminado (Integrantes e Jovens Parceiros). A fórmula utilizada para calcular o turnover é: número de demissões (exceto redução de efeitvo)/headcount médio no ano-safra.

Foram realizadas mais de 580 mil horas de capacitação dos Integrantes na safra 2015/2016. Para mais informações, clique aqui.

Média de horas de capacitação por Integrante por categoria funcional*

  2015/2016 2014/2015 2013/2014
Homens Mulheres Total Homens Mulheres Total Homens Mulheres Total
Diretores 5,2 na 5,2 0,1 na 0,1 24,5 na 24,5
Gerentes e coordenadores 32,3 18,7 29,9 34,1 25,9 32,9 63,2 64,3 63,4
Técnicos 55,5 29,1 48,7 40,6 21,1 35,6 53,6 25,2 46,3
Administrativos 24,9 14,0 19,9 24,4 15,8 20,3 37,8 29,5 33,7
Líderes operacionais 66,0 47,3 65,1 73,6 67,5 73,3 98,3 81,1 97,4
Operacional/ Produção 59,1 54,6 58,6 65,6 75,5 67,0 57,2 63,6 58,1
Manutenção 51,7 35,9 51,1 28,3 56,3 29,1 43,8 18,2 42,2
Outros 51,3 44,2 48,4 15,5 24,0 19,8 16,2 55,3 32,3
Total 55,3 37,4 52,6 55,7 50,4 54,9 57,4 51,1 56,4

*Considera os Integrantes com contrato de trabalho por tempo indeterminado (Integrantes e Jovens Parceiros).

Na safra 2015/2016, a Odebrecht Agroindustrial assinou três Termos de Ajuste de Conduta, relacionados a aspectos de composição e eleição das Comissões Internas de Prevenção de Acidentes (Cipas), horas extra e jornada de trabalho de Aprendizes. As multas recebidas no período por não conformidades com a legislação somaram R$ 71,9 mil, sendo a maioria delas relacionada a demandas trabalhistas e nenhuma com valor individual expressivo.

Sumário de Conteúdo da GRI

Conteúdos Padrão Gerais

Indicadores Localização Verificação Externa

Estratégia e análise

G4-1 Mensagem do Líder Empresarial
-
G4-2 Matriz de Materialidade
-

Perfil organizacional

G4-3 Quem Somos
-
G4-4 Quem Somos
-
G4-5 Quem Somos
-
G4-6 Quem Somos
-
G4-7 Quem Somos
Complemento GRI
-
G4-8 Quem Somos
-
G4-9 Quem Somos
Desempenho dos Negócios
-
G4-10 Nossos Integrantes
Complemento GRI
-
G4-11 Complemento GRI
-
G4-12 Relacionamento com Parceiros e Fornecedores
Complemento GRI
-
G4-13 Quem Somos
Relacionamento com Parceiros e Fornecedores
Complemento GRI
-
G4-14 Complemento GRI
-
G4-15 Compromissos e Agenda do Setor
-
G4-16 Compromissos e Agenda do Setor
Complemento GRI
-

Aspectos materiais identificados e limites

G4-17 Complemento GRI
-
G4-18 Matriz de Materialidade
-
G4-19 Matriz de Materialidade
Complemento GRI
-
G4-20 Matriz de Materialidade
Complemento GRI
-
G4-21 Matriz de Materialidade
Complemento GRI
-
G4-22 Complemento GRI
-
G4-23 Complemento GRI
-

Engajamento de stakeholders

G4-24 Matriz de Materialidade
-
G4-25 Matriz de Materialidade
Programa Energia Social
Complemento GRI
-
G4-26 Matriz de Materialidade
Programa Energia Social
-
G4-27 Matriz de Materialidade
Programa Energia Social
Complemento GRI
-

Perfil do relatório

G4-28 Apresentação
-
G4-29 Apresentação
-
G4-30 Apresentação
-
G4-31 Apresentação
-
G4-32 Apresentação
Sumário de Conteúdo da GRI
-
G4-33 Apresentação
-

Governança

G4-34 Governança Corporativa
-

Ética e integridade

G4-56 Ética, Transparência e Integridade
-
G4-57 Complemento GRI
-
G4-58 Ética, Transparência e Integridade
-

Conteúdos Padrão Específicos

Aspectos Materiais Indicadores Localização Omissões Verificação Externa

Categoria econômica

Desempenho econômico

G4-DMA
Desempenho dos Negócios
G4-EC1
Desempenho dos Negócios
Complemento GRI
-
-
-
-

Impactos econômicos indiretos

G4-DMA
Desenvolvimento Local
G4-EC7
Gestão do Impacto Social
Complemento GRI
-
-
-
-

Práticas de compras

G4-DMA
Relacionamento com Parceiros e Fornecedores
G4-EC9
Relacionamento com Parceiros e Fornecedores
Complemento GRI
-
-
-
-

Categoria ambiental

Materiais

G4-DMA
Uso Eficiente dos Recursos Naturais
G4-EN1
Uso Eficiente dos Recursos Naturais
-
-
-
-

Energia

G4-DMA
Energia
G4-EN3
Energia
Complemento GRI
-
-
-
-

Água

G4-DMA
Recursos hídricos
G4-EN8
Recursos hídricos
Complemento GRI
G4-EN10
Recursos hídricos
Complemento GRI
-
-
-
-
-
-

Biodiversidade

G4-DMA
Biodiversidade
G4-EN11
Complemento GRI
G4-EN12
Biodiversidade
-
-
-
-
-
-

Emissões

G4-DMA
Emissões Atmosféricas
G4-EN15
Emissões Atmosféricas
G4-EN16
Emissões Atmosféricas
G4-EN17
Emissões Atmosféricas
-
-
-
-
-
-
-
-

Efluentes e resíduos

G4-DMA
Impacto Ambiental
G4-EN23
Impacto Ambiental
Complemento GRI
-
-
-
-

Produtos e serviços

G4-DMA
Impacto Ambiental
G4-EN27
Impacto Ambiental
-
-
-
-

Conformidade

G4-DMA
Impacto Ambiental
G4-EN29
Complemento GRI
-
-
-
-

Transportes

G4-DMA
Biodiversidade
G4-EN30
Biodiversidade
-
-
-
-

Geral

G4-DMA
Uso Eficiente dos Recursos Naturais
G4-EN31
Uso Eficiente dos Recursos Naturais
Complemento GRI
-
-
-
-

Avaliação ambiental de fornecedores

G4-DMA
Relacionamento com Parceiros e Fornecedores
G4-EN32
Relacionamento com Parceiros e Fornecedores
-
-
-
-

Mecanismos de queixas e reclamações relacionadas a impactos ambientais

G4-DMA
Impacto Ambiental
G4-EN34
Impacto Ambiental
Complemento GRI
-
-
-
-

Categoria social – práticas trabalhistas e trabalho decente

Emprego

G4-DMA
Nossos Integrantes
G4-LA1
Nossos Integrantes
Complemento GRI
-

A Empresa não apresenta a taxa de contratações, pois esse indicador não se aplica à gestão da rotatividade de Integrantes.

-
-

Saúde e segurança no trabalho

G4-DMA
Segurança e Saúde dos Integrantes
G4-LA6
Segurança e Saúde dos Integrantes
-

A taxa de absenteísmo não inclui terceirizados. Em relação às taxas de frequência e gravidade, não está disponível a segmentação por gênero.

-
-

Treinamento e educação

G4-DMA
Nossos Integrantes
G4-LA9
Nossos Integrantes
Complemento GRI
-
-
-
-

Avaliação de fornecedores em práticas trabalhistas

G4-DMA
Relacionamento com Parceiros e Fornecedores
G4-LA14
Relacionamento com Parceiros e Fornecedores
-
-
-
-

Categoria social – sociedade

Comunidades locais

G4-DMA
Desenvolvimento Local
Programa Acreditar Jr.
Programa Broto de Gente
Programa Energia Social
G4-SO1
Desenvolvimento Local
Programa Acreditar Jr.
Programa Broto de Gente
Programa Energia Social
G4-SO2
Gestão do Impacto Social
-
-
-
-
-
-

Combate à corrupção

G4-DMA
Ética, Transparência e Integridade
G4-SO5
Ética, Transparência e Integridade
-
-
-
-

Conformidade

G4-DMA
Ética, Transparência e Integridade
G4-SO8
Complemento GRI
-
-
-
-

Créditos

Responsável por Sustentabilidade | Mônica Alcântara
Responsável por Comunicação Empresarial | Andressa Saurin
Consultoria GRI e Redação | Usina82
Projeto gráfico | Versal Editores
Desenvolvimento web | Agência Dinamite
Fotografia | Anderson Meneses, Eduardo Moody e Lourenço Furtado

Agradecemos a todos os Integrantes da Odebrecht Agroindustrial que participaram da elaboração desta publicação.